sábado, 26 de agosto de 2023

Em silêncio e na cadeia, por Nikolas Ferreira

 

Walter Delgatti Neto (hacker)


Condenado a 20 anos e 1 mês de prisão na Operação Spoofing, que investiga vazamento de conversas de autoridades ligadas à Operação Lava Jato, sem dúvida o destaque da semana foi o depoimento de Walter Delgatti na CPMI do 8 de janeiro. O hacker, que de manhã se mostrou cheio de confiança e respondeu os questionamentos dos deputados de esquerda, mudou totalmente de postura na parte da tarde, quando foi questionado pela oposição.


As mentiras proferidas por ele até poderiam ter mais credibilidade se não fossem os fatos que o rodeiam. O depoente já disse em 2022 que não só votaria em Lula como faria campanha em prol de sua eleição, externou interesse em se candidatar, e se assim o fizesse, afirmou que seria por um partido de esquerda. Além disso, já foi condenado por estelionato, e em novembro de 2021 o advogado que o representa postou uma foto com o livro que conta a história do atual presidente. Como se não bastasse, convocou seus seguidores para uma noite de autógrafos, onde os direitos autorais dos livros vendidos seriam revertidos para Walter.

__________________________________________________________________________________________________________________________

Informe publicitário

Curso de Finanças Pessoais e Investimentos: Quer aprender mais sobre finanças?

Saiba mais clicando aqui.

________________________________________________________________________________________________________________________


Todo esse histórico ideológico, somado com as inúmeras contradições e a seletividade nas respostas, renderam uma nova convocação para prestar depoimento na PF. Isso demonstra que, mais uma vez, os governistas não estão preocupados em apurar os fatos, mas politizar os trabalhos da comissão para atingir seus alvos preferidos. Enquanto isso, inocentes são presos e perseguidos unicamente por exercerem o seu direito à manifestação, conforme consta no artigo 5º da Constituição Federal.

Quando imaginei que as mentiras haviam acabado ao fim da audiência, um dia depois, o advogado Ariovaldo Moreira afirmou que seu cliente não conseguiria provar o conteúdo das supostas conversas com Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada, em virtude do celular estar no modo avião. Realmente querem que você acredite que o hacker, especialista em tecnologia, que invadiu celulares e divulgou conversas, não conseguiu fazer algo extremamente básico. Conclusão? Eu não esperava menos de quem se calou até quando foi questionado por mim sobre suas próprias palavras. Pra variar, mais uma vergonha na conta da base do atual governo. Quanto a nós, ficaremos no aguardo da próxima narrativa, já que agora, Delgatti ficará em silêncio e na cadeia.

Leia mais em: Gazeta do Povo

Compre aqui o e-book "O cristão e a política" de Nikolas Ferreira


Precisando de crédito para adquirir um imóvel, carro ou outro bem? Entre em contato comigo através do WhatsApp (11) 97765-6734 ou clique no link aqui.


Para ficar bem-informado, se inscreva em nossos grupos: Telegram WhatsApp. 



Ajude o jornalismo independente: 

 

- Seja um apoiador: https://apoia.se/onenoticias


- Contribua através do PIX: contato.onenoticias@gmail.com


Livros para você:

    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário com respeito!